Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Os novos enxames também conhecidos por desdobramentos são uma janela de oportunidade para multiplicar os efetivos e porventura a forma mais económica do aumento de colmeias. O momento do ano, depende do local do apiário e da floração disponível, mas de um modo geral pelo concelho de Idanha-a-Nova recomenda-se iniciar em finais de Março e durante o mês de Abril. Para o fazer, há várias técnicas, mas o essencial não é discutir qual ou quais os melhores métodos, mas sim aquele que nos permite uma maior taxa de sucesso nos novos enxames. Pessoalmente e por querer acompanhar a evolução da Apicultura, recomendo a introdução de abelhas rainhas selecionadas e fecundadas. Em qualquer técnica de desdobramento, esses devem ser constituídos por 4 ou 5 quadros. Antes de transferir qualquer quadro é obrigatório garantir que as rainhas das colmeias de onde vão ser retirados os quadros têm que ficar. No caso de desdobramentos com 4 quadros, recomenda-se que 2 sejam de Mel, 1 de criação aberta e outro de criação fechada, cruzando quadros de várias colmeias e caso se verifique necessário devem ser sacudidas mais algumas abelhas para completar o novo enxame. No dia seguinte, logo pelo período da manhã, introduz-se uma “gaiola” com a Rainha e algumas amas para a alimentarem. Poucos dias depois a rainha é “libertada” por um saída que estava tapada com candy (alimento) mas o qual serviu somente para as restantes abelhas aceitarem a nova rainha e a sua feromona. Depois, esta inicia a postura passado 2 a 5 dias após a sua introdução. As primeiras abelhas “filhas” vão nascer muito mais rápido do que em qualquer outra técnica, que por seu lado vai minimizar o impacto negativo nos novos enxames aumentado exponencialmente a taxa de sucesso. Outras vantagens destas rainhas é a menor agressividade das suas “filhas”, a garantia de uma boa postura e homogénea, a sanidade (limpeza) da colmeia e uma menor tendência de enxameação, problema esse que assola vários Apicultores.

Assim será possível multiplicar o efetivo várias vezes e tanto mais, quanto as colmeias “antigas” estiverem fortes quer em número de abelhas quer em reservas de alimento – mel.

O Apicultor – Bruno Anselmo

Venha Recomeçar em Idanha-a-Nova!

Aqui esperamos por si, pela sua família e pelas suas ideias.